Palavra Perdida
   
   
Histórico
Outros sites
Companhia Livre de Teatro
Mario Bortolotto

Votação
Dê uma nota para meu blog

 


Hoje acordei com saudade de um tempo. De tempo indefinido. Não está marcado. Pode ser até de um tempo que ainda não veio. Tem cheiro de infãncia fresca. Saudade alimenta.


Escrito por Cadu Fávero às 15h54
[] [envie esta mensagem] []




indo tomar uma pra afogar...
do primeiro gole...
ao ultimo...
o pensamento é exclusivo...
Seu.
no fim... tao cheio...
começo a esvaziar...
e voce parte...
fico livre
para o novo!


Escrito por Cadu Fávero às 15h53
[] [envie esta mensagem] []




‎"Andar sem sair do lugar. sem sair do lugar. Andar na frágil ponta do talvez. Talvez, esperar de novo. Esperar: o novo de novo de novo no novo. Fechar o círculo. Fechar o cerco. Estar fechado no cerco. Cada mentira leva a uma verdade que não pode ser dita sem ser mentida.
Medida rompida."
Ericson Pires


Escrito por Cadu Fávero às 15h52
[] [envie esta mensagem] []




saio de cena com a certeza do dever cumprido...
não quero e não vou me lamentar pelo que poderia...
a palavra derrete os sentimentos...
aberto, quando nao preenchido gera espaço...
fecho, desfaleço e aperto...
derrota não é sinal de fraqueza...
Pensa...
Por isso é tão dificil entregar o que se tem de mais raro...
O que pulsa!
ficar na defensiva gera buracos...
atacar abre os flancos...
"sem saida feito bicho do mato quer abrir a porta. Não existe porta"
a revelação acontece quando não há violencia...
a não violencia desperta os corações mais duros...
a verdade aparece diante da humildade...
que sangre o meu...
e...
tentar...
não ferir...
intencionalmente!


Escrito por Cadu Fávero às 15h50
[] [envie esta mensagem] []




TAXI DRIVER

 21:10h 
coloco meu filho na cama. Eu estava na sua casa, na casa da mãe dele. Aviso a vanessa a nova auxiliar do lar que ele já estava dormindo e que eu iria embora. Chovia muito a mais de 12 horas sem parar. Coloco minha capa de chuva, aquela transparentes que você ganha quando as primeiras gotas começam a cair num set de filmagem. Tava feliz, calmo. desci pelo elevador já com a capa. Na rua um caos. Descendo a Cesário Alvim vejo a rua Humaitá toda alagada. Não tinha calçada! Transito parado. Eu estava de bota, com os pés secos. Aquela capa de chuva quebra um galho. Numa parte da calçada já nåo dava mais para andar. Precisei fazer um desvio e passar pela rua, o trecho era pequeno. Com cuidado e atenção fui. Os carros quase não andavam. Numa questão de segundos sinto algo bater na minha perna. Olho para trás e é um taxi forçando a passagem e me jogando para uma enorme poça de aguá junto a calçada. Falei pro taxista:
- Calma irmão ta tudo alagado, tenha paciência.
Ele não quis nem saber jogou o carro em cima de mim, fui forçado a pisar na poça e afundar minha bota direita na aguá. Passando por mim ele acelerou mais e atropelou meu braço com o retrovisor que quebrou. Não satisfeito ele parou o carro a 2 metros a minha frente e desceu. Aí tudo passou a rodar em camera lenta. A porta se abrindo, e um homem que aparentava uns 30 anos de mais ou menos 1,90m com um porte para 100kg vem em minha direção com os dentes travados e os punhos fechados. No seu olhar: raiva!

Não dá pra calcular a quantidade de coisas que eu pensei no fremer de segundo entre aquele cara vindo em minha direção e a colisão. Respirei fundo, dobrei os joelhos e esperei, com os olhos bem abertos e prestando atenção nos movimetos do tanque que vinha em minha direção me atropelar. A raiva não é um sentimento bom para brigar sabe. A pessoa fica sega e quer te pegar de qualquer maneira. essa foi minha vantagem. Quanto mais perto ele chegava, seu braço direito ía subindo preparando o saco a ser desferido na minha cabeça. Se aquele soco entra tava fudido. Precisava esperar o momento certo pra me defender. Quando ele chegou bem próximo veio o soco. Me abaixei dei uma passo a frente e tentei dar uma "baiana" nele. O soco passou em vão como esperado, mas eu não consegui jogar ele no chão, muito pesado, e provavelmente ele tinha uma noção de jiu jitsu e se defendeu da "baiana" jogando as pernas para trás e jogando seu peso sobre minhas costas. Continuei segurando sua pernas e caimos os dois de joelhos na rua. Pronto, consegui o que queria, imobiliza-lo. naquela posição ele não poderia fazer nada! Era só esperar alguém separar. Eu ouvia a voz de um cara que viu tudo, ele gritava para o taxista:
- larga ele, tu atropelou o cara e ainda quer bater nele. eu vi tudo!
Depois chegou mais um cara e o taxista afrouxou os braços e então soltei as pernas dele. Em pé ele falava:
- vai ter que pagar meu prejuizo do retrovisor
- não vou pagar nada!
E vem ele pra cima de novo, só que dessa vez eu fui para trás de um carro. E ele não conseguia me pegar. O cara que separou conversava com ele. Olhei para seu taxi parado para ver se o retrovisor tinha quebrado mesmo, e vejo um senhor e uma menina de uns 8 anos no máximo chorando compulsivamente na porta do taxi. Ele estava com passageiro. O cara não se conformava em me deixar em paz. o cara que nos separou me disse:
_-Vai nessa irmão.
Saí correndo na direção contrária pisando em todas as poças. Esperei um tempo para voltar pra casa. Só o tempo dele sair da cena do crime. Andado todo molhado em direção a minha casa, encontro com o homem do guarda-chuva que viu tudo.
_- O retrovisor dele não quebrou, só desincachou. Ele tava nervoso!
Contimuei andado sem falar nada. Os passos eram lentos. A sensação era que todo mundo me olhava.
A única coisa que eu pensava era no que eu poderia ter feito para evitar isso. E uma voz ecuou na minha cabeça:
- Você teve tempo de tirar o seu braço esquerdo da direção do retrovisor, mas não o fez!



Escrito por Cadu Fávero às 23h26
[] [envie esta mensagem] []




Os homens

eu tinha uns 15 anos
quando vi de fato um cachorro
comendo uma cadela
foi no bairro de são pedro
em juiz de fora.
bairro pobre de passagem
para a granja da minha vô
meu pai tinha descido do carro
pra comprar pão
demorava
pois sempre pedia uma cerveja
e eu da janela vi
o viralata beje de tão sujo
cercar a cadela
malhada de tanta porrada
raivosa mostrava os dentes
para aquele cão babão
que de tanta insistencia 
conseguiu fode-la
é verdade, os homens em volta
riam e se divertiam
um tesão encubado
e a vontade de fazer isso
com suas mulheres em casa
a foda era violenta
o cão com os olhos arregalados
a boca serrada
e a malhada gritava
pouco depois
não sei como aconteceu
o cão estava engatado 
de costas 
com a cadela
e alguns homens
rindo
chutavam
e gritavam:
solta! solta! solta!
de dentro em um bar
ao lado da padaria
uma mulher de 
estatura mediana
com um lenço na cabeça
vem carregando pelas alças
com dois panos de prato para
não queimar a mão 
um panelão
fumegante
e despeja sem dó nem piedade
nos cachorros 
que imediatamente 
se soltaram
e cada um foi para um lado 
da rua
em uivos de dor
e a vaca da mulher falou para os homens
que chutavam:
vocês ficam judiando dos bichinhos
não adianta chutar
só solta com água
fervendo



Escrito por Cadu Fávero às 23h23
[] [envie esta mensagem] []




eclétic8

sempre procuro...

quero encontrar

especial de mais...

pelo tempo que tardia.

Em cada uma...

duas, três notas

de um perfume...

as vezes cinco

confesso...

mas as doze notas

em uma só...

utopia

mas...

8

tem que ter.

pra ser infinito...

 



Escrito por Cadu Fávero às 23h38
[] [envie esta mensagem] []




INGENUIDADE

o que mais me machuca é a minha ingenuidade.

toda vez que me decepciono com uma pessoa

não consigo ficar com raiva dela

fico com raiva, mas muita raiva de mim

porque fui cego

em acreditar na profundidade

de uma pessoa superficial.



Escrito por Cadu Fávero às 12h46
[] [envie esta mensagem] []




sei o que dizer de ti

escrevi o que queria

leu, depois olhou nos meus olhos.

disse tudo

gosto

mexe de um jeito insistente

um dia...

perto.

já marcado!

a primeira coisa que vou fazer

quando hoje te ver

sorrir!

gosto da adrenalina

desse olhar profano

vou passar mais a mão

sentir o quem vem pelo ar

vou te comer muito!

você mistura

tudo que eu gosto.

 



Escrito por Cadu Fávero às 20h14
[] [envie esta mensagem] []




ENSAIO SOBRE TU

TAMANHA BELEZA NAS SUAS CURVAS FINAS

PERFUME NATURAL NA PELE ABSINTA

QUE BOCA  ESSA QUE QUANDO  GEME CANTA

OLHAR QUE PENETRA NA CARNE QUENTE

MENINA MULHER QUE GOZA COMO DEUSA

QUE ME FAZ DE PREZA

QUE DESLIZA NOS MEUS DEDOS FEITO CACHOEIRA

DESAGUA NA CAMA  E SONHA COM AMOR.

QUANDO ACORDA, ME SOBRESSALTO COM SUA BELZA

DE SIMPLES OS PES NUS

O TODO

COMPLETA O MUNDO COM CARINHO

LIVVRE PASSARINHA QUE TEM CORES

BEIJA FLORES

E AMORES

ES BELA

PURA

PUTA

E INDISCUTIVELMETE

ARREBATADORA!



Escrito por Cadu Fávero às 16h21
[] [envie esta mensagem] []




E se hoje, mesmo que em silencio

mesmo que ausente

com o pensamento presente

estou aqui

independente se de ti

venha o cheiro bom

o hálito perfumado

o tesão acalorado

e o sexo alimentado

todo dia!

estou aqui

por que sei que é momento

o seu pensamento descontento

seu lamento

desesperado por soluções.

estou aqui

aguardando quieto

que sua fome cresça

e devore o mundo

que você faça

quatro refeições por dia

café da manha

almoço

jantar

e

eu!

estou aqui

independente se o que temos é

namoro ou amizade

aberto ou fechado.

ciúmes de ti, não tenho

faça o que quiser

fique com quem puder

se quiser de até pra mulher.

pois o que vem de você

que me cabe

é o que me interessa

pois é verdadeiramente

meu!

Estou aqui

porque meu alimento é rico

colho todo dia na vida

e tiro frutos até de minhas angustias

sou um caçador de ilusões

e os transformo em sonho!

me masturbo todo dia

com a alegria de um menino

que sente o cheiro no momento

do gozo, daquela em quem meu 

pensamento foi buscar

inspiração!

estou aqui

porque verdadeiramente

acho você

a

coisa mais rica!

 

 



Escrito por Cadu Fávero às 21h12
[] [envie esta mensagem] []




Calma!

Calma

alma

salva

molda

solda

solta

volta

revolta

acalma

apalpa

esbalda

saliva

explica

tem?

precisa?

insista!

divirta!

repita!

quantas vezes quiser!

 

 

 

 

 



Escrito por Cadu Fávero às 05h54
[] [envie esta mensagem] []




Olhos azuis!

Olhos azuis sempre me encantam

negros me sucumbiram

cor de mel, fico de olho nas abelhas.

jabuticaba fico no pé e não saio

verdes são os meus

mas os azuis....

são nus

desvendam uma alma

que me acalma

que me acende

me prende assim...

de repente

sente

que faço?

estremeço

e os seus

são mais azuis que brigadeiro

luz

doce que me alimenta

dessa boca rosa

como se o dia terminasse

com nuvens ao longe

permitindo 

que a noite seja

o azul mais azul

de tåo

azul

é negro!

aí sim brilha

cada estrela

com sua

cor

mas a maioria...

simplesmente

AZUL

 

 

 

 



Escrito por Cadu Fávero às 03h52
[] [envie esta mensagem] []




De volta!

Depois de quase 20 dias sem computador, volto em grande estilo. mudei para MAC. Estou gostando muito. Que sistema incrível!

Espero que eu escreva muito esse ano!



Escrito por Cadu Fávero às 13h52
[] [envie esta mensagem] []




DOIDINHO

Ontem encontrei meu pai.

Por algumas horas me reconheci.

Dentro daqueles olhos embaçados pela catarata

Pude reconhecer o menino que eu era.

Aquele que ficava com febre quando ele sumia.

Que pulava no seu colo quando aparecia.

Que invadia o maracanã nas tardes de domingo.

O primeiro a festejar quando ganhava.

O ultimo a sair quando perdia.

Maluco de pedra esse coroa.

Tomamos algumas cervejas.

Ele é muito engraçado.

Por fora a cara toda marcada por rugas.

Por dentro mais jovem do que eu.

Rico no passado.

Salário mínimo no presente.

Nem se importa.

Vive assim desprendido.

Descabido.

Inconseqüente.

Delinqüente.

Safado.

Pirado

Cuzão.

Paizão!



Escrito por Cadu Fávero às 14h15
[] [envie esta mensagem] []


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]